- Opinião

Domingo da Ressurreição

Foram necessários apenas 45 minutos para que a dupla Grenal vencesse suas partidas neste domingo de Páscoa. No dia da Ressurreição cinco jogadores ressurgiram. Em Ijuí, João Paulo e Gilberto compareceram no placar; em Porto Alegre, Miralles, Naldo e André Lima. Pelo lado do Colorado, ainda teve Dátolo que marcou. O resultado de 3×0 a favor do Inter diante do São Luiz mostrou que o time de melhor campanha na Taça Farroupilha sobra em campo diante dos adversários do interior. No Estádio Olímpico, Vanderlei Luxemburgo armou um time ofensivo, com três atacantes e todos os gols do Tricolor saíram na etapa inicial. Ou seja, mesmo com a derrota na rodada anterior diante do Pelotas, o Grêmio foi disparado o principal time do seu grupo e hoje fez 3×1 no Caxias, campeão da Taça Piratini. Isto posto, reforça o que escrevi neste espaço há alguns dias. O chimarrão de 2012, mais uma vez, ficará na capital.

Miralles

Quando o Grêmio foi ao Chile, avisei na época que para mim Esteban Paredes era melhor. Penso que ainda precisa muito para que Miralles se pague, posto que a negociação envolveu US$ 2,3 milhões. Na partida deste domingo, o argentino recebeu belo lançamento do compatriota Bertoglio e fez um golaço, que abriu o resultado na Azenha. Se der sequência, pode até mostrar. Eu sigo reticente. Espero que queime minha língua.

Nei

É o jogador mais regular do Internacional nesta temporada. O lateral-direito tão criticado ano passado participou da maioria dos gols colorados em 2012, dando assistência, iniciando uma jogada ou mesmo marcando. No gol de Gilberto, quem cruzou foi Nei, com perfeição. Parece que depois que se lixou para as críticas do torcedor, em meados de 2011, repetindo a frase do deputado federal Sérgio Moraes (PTB/RS), o atleta cresceu dentro de campo. Quem ganha é o Inter. Nei: novamente, um dos melhores em campo pelo lado alvirrubro.

Roda de Chimarrão

Lamento a eliminação do Lajeadense. A equipe do técnico Ben-Hur Pereira, há 20 meses na casamata do alviazul, começou bem as duas Taças, mas sucumbiu no final. Na derradeira rodada empatou em casa por 1×1 com o Ypiranga, quando uma vitória simples colocava o time para enfrentar o Grêmio na próxima fase. É uma pena, até porque em quase dois anos no comando do clube do Vale do Taquari, Ben-Hur Pereira não perdeu nem para o Grêmio, nem para o Internacional no Gauchão.

Me siga no Twitter.

Escrito por Diego Carvalho

Leia outras publicações de Diego Carvalho

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.