- Grêmio, Internacional, Notícias

Grêmio elege seu representante neste domingo; Inter, no dia 15 de dezembro

As eleições para a presidência do clube tricolor esquentam a cada dia que fica mais próxima a decisão, que ocorre neste domingo (21). A disputa envolve Paulo Odone, Fábio Koff e Homero Bellini Jr para estar em frente ao comando do Grêmio.

Já no colorado ainda há indefinição quanto aos concorrentes à presidência do Internacional. O clube definirá os representantes de cada chapa até o dia 1º de novembro e a eleição entre os dirigentes ocorre em duas partes, a primeira no dia 08, que é definida pelos 346 conselheiros do time, e em um segundo momento será o segundo turno, em que os sócios colorados votarão entre os dois candidatos que superarem a cláusula de barreira de 25%. A decisão final será no dia 15 de dezembro.

A oposição lançou a candidatura de Luiz Antonio Lopes, com o apoio do Movimento Inter Grande, o mesmo de Luigi, Vitório Piffero. Outro candidato sai dos nomes entre João Patrício Hermann e Sandro Farias. E a dúvida ainda é Giovanni Luigi, que tem tendência de se candidatar à reeleição.

Mesmo com movimentos em apoio, Fernando Carvalho não cogita mais voltar à cadeira presidência do clube. “A minha época de presidente já passou”, afirma.

O ex-presidente teve a sua senda de vitórias no Internacional entre os anos de 2002 e 2010, acumulando no currículo o cargo de presidente e vice-presidente do clube. Os resultados de sua gestão surpreendem. O quadro de sócios deu um salto de três mil para 107 mil em oito anos. O faturamento foi multiplicado dez vezes, de 20 milhões em 2002, para 200 milhões de reais em 2012. Hoje, ocupa o posto de primeiro colocado em número de sócios entre os times do Brasil e está na sétima posição mundial. O Corinthians aparece como segundo colocado em nível Brasil e décimo no panorama de clubes com mais sócios no mundo.

Fernando Carvalho, vice-presidente de Futebol do Internacional. Foto: Lucas Uebel/VIPCOMM

Fernando Carvalho participou de 16 conquistas de títulos em nivel regional, nacional e internacional. Ele esteve ao lado do time colorado na conquista do mundo em 2006 e, também na perda vexatória, quatro anos mais tarde, diante do Mazembe na semifinal do Mundial de Clubes.

Favorito absoluto na partida, o Internacional foi surpreendido pelo time representante da República do Congo. Segundo Fernando Carvalho a derrota começou em Porto Alegre. “A partir do momento que fomos para Abu Dhabi no mesmo avião dos torcedores e o erro foi nosso [dos dirigentes] que não preparamos os jogadores. Decisão precisa de foco. Achávamos que já estava ganho”, relatou.

Fernando Carvalho acompanhou o jogo que definia quem seria o adversário do Inter. Mazembe eliminou o Pachuca sob a torcida dos colorados, da delegação, comissão técnica e Celso Roth, que temiam enfrentar mais uma vez o reconhecido time mexicano. “Mazembe era um time primário, parecia ser mais fácil de ganhar”, declara Carvalho.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.