- Grêmio, Opinião

As possíveis formações de Enderson Moreira

Por:Thiago Silva (@thiisilva19)

O Grêmio está prestes a começar a disputa da Libertadores da América em 2014 e até o momento fez apenas duas contratações: Pedro Geromel e Edinho. Neste mesmo espaço de tempo, perdeu Dida e Alex Telles, o primeiro para o Internacional e o segundo para o futebol turco. O tricolor estreia na competição continental no dia 13 de Fevereiro contra o vencedor do confronto 6, entre Oriente Petrolero e Nacional/URU.

Com a perda de Alex Telles, o jovem Wendell, adquirido em definitivo junto ao Londrina, assumirá a titularidade, assim como acontece com Marcelo Grohe, na posição que era de Dida. Com isso, o Grêmio acaba tendo poucas mudanças, mas terá que se adaptar à uma forma diferente de jogo com seu novo técnico, Enderson Moreira. No Goiás, o treinador armava sua equipe com um meio-campo compacto, mas com grande troca de posições, tinha um estilo de chegadas em blocos ao ataque.

No Grêmio, Enderson Moreira possui um número bom de meio campistas, principalmente de volantes: Souza, Ramiro, Matheus Biteco, Moisés, Adriano, Riveros, o novo contratado Edinho e a volta de Léo Gago, que por sua vez, não deve ser utilizado. Na armação de jogadas o treinador conta com Zé Roberto, Maxi Rodríguez, Elano, Luan, Jean Deretti e Rondinelly. Com isso, o treinador possui diversos estilos de jogador dentro do seu elenco que podem ajudar em situações diferentes de jogo.

Enderson Moreira na sua primeira semana no comando do tricolor, recebeu as duas contratações: Edinho e Pedro Geromel. E eles podem ser rapidamente levados ao time titular. Nesta formação (foto abaixo) o Grêmio tem Pará e Wendell com liberdade para atacar e realizar os cruzamentos e tabelamentos com os atacantes Kléber e Barcos. Wendell dará ao tricolor, o que faltou na reta final do Brasileirão: Velocidade. E além disso, terá um jogador que está sempre buscando o drible e chamando para si a responsabilidade da lateral. Também nesta formação Edinho, poderá realizar a função de terceiro zagueiro, que também exerceu nos primeiros anos de Inter e no Fluminense, que daria proteção para os laterais subirem com liberdade. Os meio campistas Souza, Ramiro e Zé Roberto teriam com isso uma liberdade maior além de ter um marcador naquela região do campo.

4-4-2 é uma das opções do técnico.
4-4-2 é uma das opções do técnico.

Já nesta formação (foto abaixo) os laterais continuam com a mesma liberdade, dando maior velocidade e criatividade ao time, mas os volantes Souza e Ramiro, reconhecidos no time por terem boa técnica na saída de bola e subirem bem ao ataque, teriam também que ter uma maior obrigação na marcação. Apenas Zé Roberto, Wendell e Pará poderiam agir mais livres no meio campo tricolor. A formação com três zagueiros deu certo em boa parte do Brasileirão em 2013, mas apesar de dar ao Grêmio certa segurança defensiva, não conseguia ter a mesma estabilidade no ataque, onde o time marcava poucos gols e ganhava muitos jogos pelo resultado mínimo.

3-5-2 é mais uma formação que pode ser utilizada.
3-5-2 é mais uma formação que pode ser utilizada.

Existe também a chance do volante Souza ser negociado, segundo a imprensa, há ofertas de alguns clubes pelo atleta, com isso o treinador Enderson Moreira perderia o jogador base de seu meio-campo e teria de modificar novamente a formatação. Nesta terceira formação (foto abaixo) o Grêmio tem no seu meio-campo a dupla de volantes Riveros e Ramiro, que teriam uma maior obrigação de marcar e cobrir os dois laterais, quando os mesmos subissem para o ataque, e além disso também sair jogando com uma grande qualidade, que seria a grande utilidade de Riveros no lugar de Edinho. Na segunda linha de meio campo estariam Zé Roberto e Maxi Rodríguez, com isso, o Grêmio ganharia poder ofensivo com jogadas pelas laterais e com os dois meias, que alimentariam os atacantes Barcos e Kléber.

Caso Souza seja vendido, o treinador poderá trocar a formação
Caso Souza seja vendido, o treinador poderá trocar a formação

Enderson tem diversos jogadores à disposição e poderá com isso realizar um grande trabalho. A Libertadores da América dará ao Grêmio muitos confrontos complicados, como jogar na Colômbia, na pressão do acanhado estádio do Newell’s Old Boys, ou caso o Nacional passe jogar no Uruguai e isso fará com que o treinador precise ter diversas formações para testar antes da competição iniciar e escolher a sua preferida.

Escrito por Thiago Silva

20 αnos, estudαnte de jornαlismo nα PUC.
Leia outras publicações de Thiago Silva

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.