Foto: Divulgação/ Inter
- Opinião

Desastre com hora marcada

No início deste ano tive uma aula sobre análise tática com o amigo Gustavo Fogaça que proferiu a seguinte frase: “O Inter, se mantiver um planejamento, não vai cair, porém se seguir trocando de técnico certamente cairá”

Alguém poderia dizer que isso é profético, mas não é, é lógica, futebol é imprevisível sim, mas existe uma lógica por traz, não é um jogo caótico e de soluções mágicas. O plano de jogo, a lógica, a organização de um time podem não funcionar, nem sempre o favorito ganha, a chance é em torno de 50%, ou outros 50% são os da sorte. O que aconteceu com o Inter foi previsível, pois contou apenas com os 50% da sorte e não se importou em trabalhar a outra metade, quatro técnicos em um ano rebaixa, busquem na história a porcentagem de times que tiveram mais de 4 técnicos em um ano e NÃO CAÍRAM.

Foto: Ricardo Duarte/ Inter

A culpa não é dos jogadores, que se não fossem os grandes momentos de individualidade dos mesmos, o Inter teria sido rebaixado com grande antecedência. A culpa não é dos torcedores, que lotaram o estádio em diversos jogos, atingindo uma das maiores médias de público do campeonato. A culpa não é dos técnicos, que com a exceção de Argel, não tiveram tempo nem de implantar um trabalho de médio prazo, quem dera algo mais complexo.

Não foi tragédia, não foi desastre, e muito menos inesperado, foi o resultado de erros absurdos e sucessivos da direção do time

A culpa é da direção, que busca a solução mágica, que conta apenas com a sorte, que acha que o peso da camisa por si só é suficiente para o sucesso de um time, que conta com um fato novo sempre que a situação se complica, ao invés de planejar, e tomar una decisão pensada. A gestão que conduziu o Inter, conduziu no desespero, conduziu futebol como se conduzia na época em que os técnicos escalavam o time e dormiam durante o jogo.

O Guffo, assim como muitos outros da imprensa gaúcha previram a queda, e nenhum deles é vidente, eles apenas sabem ler algumas nuances do futebol que, por não estarem na superfície, escancaradas, por vezes passam despercebidas pelo torcedor.

Foto: Divulgação/ Inter

O Inter mereceu a queda, e mereceu por causa de decisões erradas de sua direção que vem cometendo erros desde o ano passado, decisões essas que vieram cobrar a dívida na tarde de hoje, dívida essa, que será paga em 12 prestações, uma para cada mês do ano de 2017.

Escrito por Eduardo Brandelli

Leia outras publicações de Eduardo Brandelli

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.