Mesmo sem a “cereja do bolo”, o 2018 do Grêmio termina de forma positiva

Mesmo sem a “cereja do bolo”, o 2018 do Grêmio termina de forma positiva

04/12/2018 0 Por Wesley Dias

Neste domingo, o Grêmio encerrou o seu calendário futebolístico vencendo o Corinthians por 1 a 0, na Arena. Jogando em casa, o tricolor superou a equipe paulista e garantiu vaga direta na fase de grupos da Libertadores de 2019. Numericamente, mesmo sem o título brasileiro, o atual ano gremista foi positivo quanto a títulos devido as conquistas do Campeonato Gaúcho e da Recopa Sul-Americana. Mas o gostinho de “quero mais” ficou principalmente devido a eliminação na Libertadores desse ano. Campeonato que o tricolor colocou todas as suas fichas novamente.

Apoie o Conexão Grenal. Entre para o nosso clube.

Apesar do tetra da Libertadores não ter chegado, o 2018 gremista esteve longe de ser ruim. O ano começou com a conquista da Recopa Sul-Americana. Conquista essa que veio em excelente hora, dado o fato de que o inicio de ano do tricolor era ruim no Gauchão. Até aquele momento da segunda partida contra o Indepediente, o Grêmio era lanterna do Campeonato Gaúcho. Mas vale ressaltar, que foi a partir dessas duas partidas da Recopa, que passamos a ver aquele que seria o time titular de Renato Portaluppi para o restante do ano.

Foto: Lucas Uebel/ Grêmio

As duas partidas diante do Independiente foram bem acirradas. Na Argentina ela terminou em 1 a 1 e na Arena em 0 a 0. Portanto, o jogo teve que ser resolvido nas penalidades máximas. Mas falando em si dessas duas partidas que mostraram um pouco daquele que era o “11 ideal” gremista, até aquele momento víamos uma equipe bastante propositiva, com alta posse de bola e criativa na frente na geração de oportunidades. Em contraponto, o argentinos se fechavam e usavam da clássica catimba hermana. Com isso, a partida foi decidida nos pênaltis e o Grêmio se sagrou campeão pelo placar de 5 a 4.

Veja a tabela do Gauchão 2018

O primeiro semestre foi bastante glorioso para os comandados de Renato Portaluppi. Dois meses depois houve a conquista do Gauchão após 8 anos de jejum. Uma reconquista em grande estilo, já que o tricolor terminou o torneio sendo a equipe com maior pontuação, melhor ataque e melhor defesa. Campanha essa que traduziu a importância que o Grêmio atribuiu ao campeonato estadual nesse ano. Pois após uma conquista a nível nacional (Copa BR 2016) e uma a nível continental (Libertadores 2017), o tricolor via como essencial recuperar o seu prestígio regional. E ele foi recuperado com sucesso devido a grande campanha feita.

Foto: Lucas Uebel/ Grêmio

Mas como nem tudo são flores, a primeira eliminação gremista chegou em agosto de 2018. Após empate em 1 a 1 no jogo de ida, o Grêmio foi superado por 1 a 0 pelo Flamengo e deu adeus ao sonho do hexacampeonato da Copa do Brasil. Inapto ofensivamente, o tricolor encontrava os seus primeiros problemas na temporada e não conseguia reagir de forma efetiva no confronto da volta. Faltou poder decisão ao clube azul. Após dois títulos no primeiro semestre, o Grêmio via a sua primeira eliminação na temporada. Mesmo com a eliminação e alguns leves problemas, Renato encerrou aquela noite dizendo estar satisfeito com o grupo de jogadores que tinha e que o clube também precisava “saber perder” assim como sabia ganhar.

Veja a campanha do Grêmio na Libertadores 2018

Após a eliminação da Copa do Brasil, ainda restava para o tricolor o sonho do tetracampeonato da Libertadores. Titulo esse que, diga-se de passagem, era novamente a grande meta do tricolor assim como havia sido no ano anterior. Mas, infelizmente, o segundo semestre tricolor não estava sendo tão positivo assim. Após campanha invicta na fase de grupos, o time gremista foi embalado para a fase eliminatória. Porém, a alegria acabou na semi-final. O tricolor foi bem no primeiro confronto ao bater o River Plate por 1 a 0 na casa do oponente. Jogando com muita inteligência, o time gaúcho foi precavido, segurou os avanços da equipe argentina e ainda conseguiu fazer o seu gol. Resultado magnífico de acordo com as circunstâncias envolvidas.

Foto: Lucas Uebel/ Grêmio

O jogo da volta teria a tendência de ser mais tranquilo para os azuis. Até porque o Grêmio conseguiu ampliar a sua vantagem logo na primeira etapa da partida. Mas, diante de 50 mil torcedores, o tricolor sofreu a virada mais dolorosa do ano. Aquele time que se encaminhava para mais uma final, viu tudo desandar após lesão de Paulo Miranda aos 24′ da segunda etapa. O  defensor teve a missão de substituir Walter Kannemann e fez isso com maestria naquela noite. Pelo menos enquanto pôde. Porém, devido a caimbrãs, precisou dar lugar a Bressan. E pouco mais de 10′ depois, o River empatava o confronto. Depois, aos 41, Scocco finalizou e contou com um desvio no braço de Bressan em meio a trajetória do chute. O árbitro não viu, mas o VAR captou. Penalidade, virada e classificação argentina na casa dos gaúchos. 

Leia todas as notícias do Grêmio

O ano gremista teve os seus altos e baixos. O torcedor pode ter se decepcionado bastante com o insucesso na Libertadores, mas não terminou o ano de forma infeliz. O Grêmio mais uma vez encerra o ano com taças no armário e com uma base de time. Claro que algumas coisas devem ser modificadas. Porém, as boas notícias se fizeram muito mais presentes. Éverton se firmou como um dos melhores jogadores em atividade no Brasil, Pedro Geromel mais uma vez marcou presença entre os principais defensores e o tricolor garantiu vaga direta na fase de grupos da Libertadores da América como habitualmente tem sido. Isso sem contar ainda a renovação de Renato Portaluppi, que vai para o seu terceiro ano como comandante da equipe tri campeã da América.

2018 não foi perfeito, mas terminou sim de forma bastante positiva para o Grêmio. Pelo terceiro ano consecutivo, o time do bairro humaitá termina com conquistas. Agora é se reforçar e manter o mesmo foco de sempre para voltar a ter mais conquistas ainda em 2019.